2.Ideologia nazista

Suástica, ou cruz torta. Símbolo do nazismo.

Doutrinando

A ideologia nazista era basicamente apoiada na ideia da “superioridade da raça ariana”, delineada por Adolf Hitler no livro “Mein Kampf” (“Minha Luta”) – livro escrito pelo líder nazista em 1925. Hitler dizia que os negros e principalmente judeus eram inferiores à raça ariana. Uma metáfora criada por Hitler, e reproduzida em seu livro, exemplifica essa teoria da “higiene racial”, que seria aplicada durante o período do regime: “O corpo alemão é um só corpo, mas a sua integridade está ameaçada. Para manter a saúde do povo, é preciso curar o corpo infestado de parasitas”.

Com o Nationalsozialistiche Deutsche Arbeiter Partei (Partido Trabalhista Nacional-Socialista Alemão) funcionando a pleno vapor e angariando cada vez mais membros, Hitler possuía a força necessária para galgar seu espaço no cenário político alemão. Foi o que ele fez, pouco a pouco, ocupando primeiro o cargo de chanceler e depois chegando à elite máxima do poder executivo alemão.

A caça aos judeus e outros componentes da sociedade – como ciganos, homossexuais e opositores do governo – começou logo nos  primeiros meses em que Hitler tomou o poder na Alemanha, em 1933. A principio esses elementos eram “apenas” aprisionados e submetidos a trabalhos forçados naquele que foi o primeiro campo de concentração criado pelos nazistas: o campo de Dachau.

Campo de concentração em Dachau.

Nessa breve linha do tempo que ilustra como os nazistas tratavam as raças ditas “inferiores”, é possível ver em 1935 a evolução da repressão. Nesse ano foram proclamadas as leis de Nuremberg que, entre outras coisas, proibia que os judeus se casassem com alemães de “sangue puro”. Além disso, os judeus deveriam usar braçadeiras com a estrela de Davi para serem facilmente identificados (a braçadeira deveria ser obrigatoriamente branca com o grafismo da estrela em azul anil).

A política de erradicação total dos judeus surgiu em 1942, já com a guerra em curso. Para isso foi feita uma conferência em Wannsee, onde estavam presentes importantes oficiais do 3º Reich, como Reinhard Heydrich – um importante delegado da SS – e o comandante Adolf Eichmann. Naquela reunião ficou decidido como seria o criminoso projeto de extermínio dos judeus, que ficou conhecido como “A Solução Final para a Questão Judaica”. Hitler não estava presente na reunião, mas aprovou as propostas que, dentre outras diretrizes, estabelecia que os judeus confinados em campos de concentração seriam submetidos a trabalhos extremamente forçados, sem acesso à comida ou higiene. Ainda assim, ficou estabelecido que aqueles que sobrevivessem deveriam ter um destino ainda mais cruel: a morte em câmaras de gás, tanques de gasolina ou corredores de fuzilamento, entre outros sistemas de extermínio. Havia também nos campos os “centros de pesquisa”, para onde alguns judeus eram levados a fim de servir de cobaia em experimentos insanos que iam desde mutilação a sangue frio até injeção de tinta azul nos olhos das vítimas.

Nesse hiato entre 1933 e 1945, diversas teorias compunham a ideologia nazista. Grupos foram criados para fazer valer a força do regime. A ideologia nazista era aplicada até mesmo na base da sociedade alemã: as crianças. A Hitler Jugend “ (Juventude Hitleriana) é um exemplo de como o regime era sistemático na hora de doutrinar seus adeptos. Crianças de 5 a 10 anos aprendiam quais eram os princípios do führer e todos os meandros da ideologia, inclusive que judeus eram indivíduos indignos e tudo o mais. Além disso, também era incutido nas crianças que o povo alemão necessitava de um Lebensraum (“Espaço Vital”) para sobreviver. Dessa forma, até mesmo o medo de uma possível guerra era extirpado das crianças, que nasciam sabendo que seu futuro dependia desse espaço.

A ideologia nazista foi sendo disseminada em larga escala utilizando-se dos mais variados meios. A multiplicação dos ideais nazistas foi também fortemente influenciada por determinados grupos, como a SS e o Thüle.

Konzentration Lager

Aliás, impossível falar de nazismo e “grupos de apoio” sem citar os Konzentration Lager (“Campos de Concentração”). Não se tratava de um grupo, mas sim de um local que representa bem como a Alemanha nazista se transformou em uma indústria brutal da morte.

Administrados pelas SS, os campos de concentração eram os exemplos máximos dos vis ideais nazistas. Ironicamente, no campo de Auschwitz, onde morreram a maioria dos judeus, havia a inscirção “Arbeit Macht Frei” (“o trabalho liberta”). As vítimas desses campos, principalmente judeus – mas também ciganos, homossexuais, débeis mentais, comunistas e outros grupos -, estão enquadradas na História como as vítimas de um verdadeiro Holocausto.

“A história é uma disputa entre raças, na qual as mais fortes tendem a derrotar as mais fracas. Assim como na evolução das espéices, apenas as mais aptas sobrevivem.” – Adolf Hitler

22 Respostas to “2.Ideologia nazista”

  1. Anonimo Says:

    muito bom o seu blog, me ajudou a responder uma questão de um trabalho,

    Atenciosamente Sr. Anônimo

  2. mel Says:

    me ajudou mt no trabalho:)

  3. mariana Says:

    esse assunto me ajudo mt na prova de amanha

  4. Larissa Says:

    Me ajudou muito no trabalho

  5. Rafael Vieira Says:

    Nossa Valeu mesmo, texto completissimo; ajudou no trabalho aqui.

  6. orlando Says:

    este assunto esta ajudando bastante, ñ só pra mim mas para muitos…

  7. emily Says:

    me ajudou a responder uma pergunta de historia ; ]

  8. juan Says:

    legal muito interessante

  9. luana Says:

    muito legal

  10. luana Says:

    hehehe

  11. Sarah Cardoso Says:

    Parabéns, muito bom me ajudou bastante no meu trabalho ! bem explicado .

  12. Aline Santos Says:

    obrigada valleu apena me ajudou muitoooooo

  13. wagner Says:

    E as Testemunhas de Jeová?

  14. Felipe Says:

    Eu moro em Belém do Pará e a população da nossa cidade vive completamente apavorada devido a criminalidade !
    Na minha opinião nós estamos precisando de um homem como adolf hitler no controle do nosso país, não pra matar judeus ou homossexual mais para colocar um basta no problema chamado segurança publica !

  15. Amábille Says:

    Muito bem informado este blog. Foi uma ótima ajuda para um trabalho de filosofia de 3 ano do ensino médio. Procurei em vários lugares, mas nenhum tão bem explicado como aqui. Obrigada!

  16. Anônimo Says:

    uma pohha ajudo nd.. peguei de outro site!

  17. Célia de Lima Viana Says:

    Estou perplexa com a falta de sensibilidade de vocês. Para todo mundo aqui parece que os fatos narrados saíram da mente malévola de uma máquina de jogos. E os desprovidos de lógica e coração sequer lamentaram o destino de milhões de seres humanos conde-nados à morte sem culpa formada a não ser o fato de serem judeus. E pior ainda ficaram satisfeitos com as informações trágicas sobre pessoas absolutamente indefesas, sem um território para refúgio, sem uma organização de apoio, nem armas, nem alimento, nem água, nem misericórdia. Acredito que não leram nada a respeito até hoje sobre as atrocidades que essa ideologia maldita praticou como subterfúgio da opressão, da miséria e da morte inevitável. Sem contar o caos criado pelos exércitos nazistas invadindo países,como a França, Polônia, Egito, Holanda e os bombardeios contra a Inglaterra, causando mortes, destruição e saque de bens valiosos como obras de arte de Louvre na França. Foi o efeito de um terremoto em escala máxima Richter. A Europa foi devastada por essa guerra irracional comandada pelo fuehrer Adolf Hitler e seus assetas. Só as experiências ditas “científicas” já dão a dimensão exata da crueldade aplicada no extermínio dos judeus. O crime deles? Serem judeus, povo errante desde o império romano quando perderam seu território na Judeia. Por não terem direito a propriedade, eles se estabeleciam em lugares onde pudessem sobreviver. Um fato relevante para a perseguição ao povo judeu na Alemanha foi o fato de haver várias empresas cujos donos eram judeus. O caos econômico da primeira guerra mundial levou o Estado Alemão a perder autonomia quando foi condenada em tribunal de guerra a não fabricar armamento bélico. Isto não foi respeitado e as indústrias alemãs continuaram a fabricar armamento escondendo o arsenal em estacionamento de armas oriundas da a. guerra. Quando Hitler assumiu o cargo de chanceler, a Alemanha estava armada até os dentes e a invasão da Prússia deflagrou a 2a. Guerra Mundial. O julgamento dos alemães em Nuremberg é fato histórico. Apesar do número de mortos (6 milhões de judeus), muitos dos ditos cientistas que fizeram experiências inenarráveis em mulheres e homens judeus, afirmavam não saber das torturas. Quem tiver sensibilidade leia “O Diário de Annie Frank”, escrito durante dois anos por uma adolescente de 13 anos cuja família se refugiou na Holanda durante a guerra onde os nazistas faziam verdadeira caçada aos judeus em fuga. Graças à generosidade de pessoas holandesas, que se arriscavam levando comida e água para a família de Annie Frank, eles viveram lá, cochichando durante o dia, pois no edifício funcionava uma fábrica de artefatos de armas (munições). Annie tinha 5 anos quando sua família e ela foram presos junto com seus benfeitores e levados a um campo de concentração. Annie, sua irmã e sua mãe morreram nesse campo, mas seu pai sobreviveu para poder mostrar ao mundo o diário de Annie.e hoje a casa que:os abrigou durante dois anos é um museu. Uma frase de Annie foi destacada em seu diário: “Apesar de tudo prefiro acreditar na bondade humana”

  18. Célia De Lima Viana Says:

    Obs.: Não tenho parentesco nenhum com judeus. Só tive a chance de estudar a língua alemã na USP e pude conhecer um pouco da história desse povo de origem guerreira (Vickings) cuja inteligência é fato notório. O prêmio Nobel de Ciência tem 102 cientistas alemães como vencedores. No texto acima, Fiz um curso sobre os povos germânicos e no livro indicado para consulta havia apenas cinco linhas sobre a 2a. grande guerra. Os alemães têm vergonha desse passado. Annie tinha 15 anos quando morreu de tifo no campo de concentração. Os holandeses que ajudram sua família foram todos presos e morreram também no campo de concentração.

  19. ISTAEL Says:

    MUITO BEM IMFORMADOESTEBLOG

  20. ERLIQUE Says:

    ATRAVÉS DESTE TEXTO PODENOS VIVENCIARMOS A FORÇA QUE UMA IDEOLOGIA TEM . e COMO PODE SER UTILIZADA PARA O BEM OU PARA O MAL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: